FNL entrega pauta de 10 acampamentos do Pontal para ITESP

A Frente Nacional de Luta Campo e Cidade entregou na manhã de hoje (8) uma lista de reivindicações ao Instituto de Terras do Estado de São Paulo, em Presidente Prudente. A pauta foi construída por 10 acampamentos da região do Pontal do Paranapanema, conta com a assinatura de 2.214 pessoas. A coordenação da FNL tem […]

8 out 2021, 13:57 Tempo de leitura: 1 minuto, 49 segundos
FNL entrega pauta de 10 acampamentos do Pontal para ITESP

A Frente Nacional de Luta Campo e Cidade entregou na manhã de hoje (8) uma lista de reivindicações ao Instituto de Terras do Estado de São Paulo, em Presidente Prudente. A pauta foi construída por 10 acampamentos da região do Pontal do Paranapanema, conta com a assinatura de 2.214 pessoas. A coordenação da FNL tem a expectativa é chegar em breve às 3.000 pessoas.

Entre as reivindicações, estão a discussão sobre pontos do projeto de lei nº 410, que debate na prática a regularização da grilagem de terras que já são reconhecidas como públicas pela Justiça e pelo Estado, inclusive considerando novas áreas ainda não consideradas.

A FNL luta pelo cadastramento das centenas de famílias que vivem em áreas ocupadas do Pontal, junto com a criação de um programa que garanta o fornecimento de cestas básicas e distribuição de lonas às famílias em situação de vulnerabilidade, para garantir a alimentação e a manutenção dos barracos nos acampamentos.

O governo de João Doria não pode fechar os olhos diante dos problemas da região agrária de São Paulo, muito menos querer legitimar os grileiros das terras públicas, se colocando à margem da História.

– “O Pontal do Paranapanema tem longa história de conflitos e mobilização social pela distribuição dos territórios que estão abandonados há décadas. São terras vazias, sem cultivo, sem pessoas, sem nenhum função social. Nós representamos aqui hoje milhares de famílias sem terra e teto para morar. A maioria também não tem emprego. Portanto, estamos apresentando soluções para um problema que o Estado não conseguiu resolver agora, e queremos dialogar. A não ser que o governo Doria queira seguir agindo como o dono da Casa Grande no Pontal” – explicou Zé Rainha, coordenador nacional da FNL

Para acompanhar este processo, a Frente reivindica participação formal na seleção das famílias, junto com o MAST. Leia o documento com as demandas na íntegra clicando aqui. A partir de agora, a FNL aguarda resposta formal do ITESP.

Fotos: FNL