Vitória! STF suspende a reintegração de posse na área do acampamento Nelson Mandela, em Rosana

Nesta sexta-feira (29), a medida cautelar ajuizada pelo escritório de advocacia Raul Marcelo e Rodrigo Chizolini, representando a Frente Nacional de Luta Campo e Cidade (FNL), foi acatada pelo Ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski. Lewandowski suspendeu a reintegração de posse da Justiça de Rosana, impedindo o despejo de mais de 800 famílias do […]

29 out 2021, 14:04 Tempo de leitura: 1 minuto, 41 segundos
Vitória! STF suspende a reintegração de posse na área do acampamento Nelson Mandela, em Rosana

Nesta sexta-feira (29), a medida cautelar ajuizada pelo escritório de advocacia Raul Marcelo e Rodrigo Chizolini, representando a Frente Nacional de Luta Campo e Cidade (FNL), foi acatada pelo Ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski. Lewandowski suspendeu a reintegração de posse da Justiça de Rosana, impedindo o despejo de mais de 800 famílias do Pontal do Paranapanema.

O acampamento foi construído em 31 de agosto deste ano. A decisão é uma vitória histórica da FNL, e inédita para os movimentos sociais que lutam pelo direito à terra. Desde junho deste ano, a FNL tem intensificado a mobilização nacional e a construção de novas ocupações no campo, principalmente na região do Pontal do Paranapanema.

“Nossa gratidão ao escritório de advocacia, na pessoa Rodrigo Chizolini, que além de ser um extraordinário advogado de alta competência, é um militante da causa que nos dá orgulho em ter ele como nosso advogado. Esta vitória é uma de tantas outras que Rodrigo já ganhou nos tribunais de justiça em favor da reforma agrária e urbana. Logo vamos ter outras vitórias. Espero que seja a notícia da liberdade, minha e de Claudemir Novais, com a suspensão do processo ilegal que há contra nós e outros ativistas. A vitória tem sabor de mel!” – comemora Zé Rainha.

O coordenador nacional da FNL também reforça o convite a todos os atividades e movimentos sociais que apoiam a luta pela reforma agrária para participar da grande marcha da Frente, entre os dias 10 e 15 de novembro. Os marchantes partem de Sorocaba para a capital paulista.

Diante da medida cautelar, está suspenso o despejo das famílias, até que o Juízo de Rosana preste informações sobre as condições das famílias e informe a dimensão da área em litígio, solicitada pelo STF. Após o envio das informações ao Supremo, haverá nova apreciação da liminar que suspendeu a reintegração.